Prêmio Carlos Lacerda de Jornalismo Golpista

Reinaldo Azevedo

Linha de frente da direita raivosa, o blogueiro e (des)articulista da Veja tem por gosto fuzilar tudo quanto seja denominado de esquerda. Seus ataques são enlameados com linguagem grosseira, numa tentativa de caluniar, difamar e injuriar seus oponentes. Como define Luís Nassif, ele é a cara da Veja. Exemplo mais acabado do processo de deterioração moral e editorial que tomou conta da revista.

Carlos Chagas

Assessor de imprensa do general Costa e Silva e autor de um artigo em que defende a tese de que os generais presidentes não acumularam patrimônio ilicitamente ao abandonarem o poder. Coisa diametralmente oposta aos governos civis, segundo ele.
Apenas uma pergunta ao ilustre jornalista: onde o senhor estava quando seu colega de profissão, Vladimir Herzog, foi espancado, torturado e assassinado por defender uma pátria livre, em 1975, no governo do general Geisel?

Diogo Mainardi

Seu ódio pelo Brasil é seu ibope na guarita extremista da revista Veja. No front do Manhatan Conection, na Globonews, propôs o assassinato de Paulo Freire(?) e de cientistas iranianos.Os fuxicos e futricas forjados em sua coluna não se sustentam ante uma sondagem preliminar. Coleciona mais de duzentos processos por difamação, calúnia e injúria. Condenado numa dessas ações judiciais, fugiu para Veneza com medo de ser preso.
Em 2010 o Wikileaks revelou ocasiões em que Mainardi e Willian Waack , jornalista da Rede Globo, serviam como informantes para o governo americano. A dupla reunia-se com o cônsul dos EUA para “almoço reservado.” Ou Tea Party?

Merval Pereira

É um ser onipresente nas Organizações Globo. Com passagem obrigatória pela Veja, nunca esquentou a cadeira para escrever um livro propriamente dito. Participou de três antologias de cunho político e rabiscou um continho de classe C. A obsessão de sua vida é o Lula. Seu livro “O Lulismo no Poder” resume-se a uma reunião de artigos de 2002 a 2010 no covil da redação do jornal O globo. O sujeito ficou oito anos chamando o ex-presidente de feio. É ou não é um transtorno obsessivo compulsivo? Este manifesto anti-Lula foi lançado na própria ABL, no final de 2010, como um tapete vermelho para sua eleição no início de 2011. Exatamente como ocorreu com Lord Marinho.
O coronel Ustra, ex-comandante do DOI/CODI de SP e o primeiro milico a ser declarado torturador em uma sentença judicial, teceu loas à obra basilar de Merval. Sintomático, não acham?

Anúncios
Categorias: Mídia | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: