Say it loud…

orgulho nerd

Há muito tempo numa galáxia muito distante…

Necessitar expressar seu jeito de ser, um grupo de pessoas precisava. Menosprezadas elas foram. Piadas desrespeitosas tantas vezes ouviram. Queriam apenas paixões viver. Paixões tornar aspectos de vida. Com intensidade e sabedoria.

Talvez seja disso que afinal se trate ser nerd. Acho dificílimo definir nerd. Pra mim, nerd é meio que toda pessoa que desenvolve uma paixão e conhecimento extraordinário por temas, aparentemente, sem serventia prática. Ops… nesse ponto se dá a falha na Matrix de minha tentativa, de pretensão vulcanamente lógica, de definir nerdismo (nerdice não. Esse sufixo –ice acrescenta carga semântica pejorativa ao substantivo que dele resulta). Ocorre que os nerds tão em alta definitivamente. Big Bang Theory que o diga. E, penso, que um dos motivos para isso passa justamente pelo fato de que vivemos um momento em que o domínio obsessivo sobre tecnologias, via informática e tecnologia de comunicação em geral, passou a ser determinante, logo bem visto. Talvez só no Renascimento os nerds tenham desfrutado de comparável estima. Sim, o Renascimento foi nerd! Não havia ainda se tocado disso? Helloooooo…

santa ceia nerd

Uma espécie de panteão nerd de todos os tempos, à ceia.

poder nerd

A gênese foi em Madri, 2006, 25 de maio, data da estreia de Star Wars, no ano de 1977. Lá, pela primeira vez, se registra comemoração ao dia do Orgulho Nerd num país. O maior ato acontecera em Madri, onde mais de 300 pessoas saíram às ruas pra celebrarem o direito de serem nerds. No auge da manifestação, formaram um pacman gigante vivo, reunindo três centenas de pesssoas. Em 2007, o movimento foi ainda maior, com a participação de instituições oficiais da sociedade espanhola. Houve comemorações em várias cidades do país. Em 2008, o Dia do Orgulho Nerd chega aos EUA, de onde ecoaria pro resto do mundo. Nesse ano, houve parada na Quinta Avenida em Manhattan. No desfile, havia várias alas nerds temáticas, como a dos números primos, por exemplo. Em que bastava ir fantasiado de algum desses números, vejam só… A partir daí, a celebração da data só se alastraria, pela América Latina, Canadá, centros europeus. Blogues nerds de todo o mundo, canais de ciências e de séries com programações específicas no 25/05: a data havia pegado. Em 2010, houve celebrações no Leste Europeu e em Israel.

orgulho-nerd

Vida longa e próspera!

Provavelmente, também há, no cenário que justifica a ascensão nerd, ou melhor, o level up, ou ainda, up grade nerd, toda a conjuntura de espaço a minorias sempre silenciadas na sociedade. Não há que haja no mundo nerd inflexões marcadas à esquerda, mas também creio que não à direita. Na verdade, lidamos com mundos e valores em que essas questões, por fazerem parte do mundo contingente e real, não vêm, normalmente, ao caso. Apesar disso, há de se registrar personagens socialistas, todos fora do primeiro plano, é verdade e todos da Detective Comics (Marvel SUCKS, DC RULES!):

Soviete Supremo, membro da antiga Liga da Justiça da Europa. Na verdade, há dezenas de sovietes supremos

Soviete Supremo, membro da antiga Liga da Justiça da Europa. Na verdade, há dezenas de sovietes supremos

kilowog

Kilowog, meu lanterna preferido da Tropa dos Lanternas Verdes, composta por mais de 7200 membros espalhados por todo o universo. Kilowog, instrutor da Academia para lanternas recém-recrutados, é do planeta Bolovax Vik, no setor galáctico 577, um planeta socialista

Oliver Queen, o Arqueiro Verde, membro habitual da Liga da Justiça, durante a maior parte de sua caracterização no universo dos quadrinhos, apresentado como socialista

Oliver Queen, o Arqueiro Verde, membro habitual da Liga da Justiça, durante a maior parte de sua caracterização no universo dos quadrinhos, apresentado como socialista

Contudo, talvez nada disso importe relevantemente para, digo, o que exata e precisamente seja nerd ou que motivações levaram a sua surpreendente glamurização, até porque sabemos que a verdade está lá fora.

E queremos acreditar que, ao tomarmos a pílula vermelha, poderemos, ousadamente, ir onde nenhum homem esteve antes!

Há quem também utilize o termo geek pra se referir aos nerds. Confesso que, por mero tradicionalismo, não gosto muito de utilizar o termo. Além do mais, creio que ele traga contido algum valor distintivo em relação à denominação tradicional.

nerds

Enfim, claro que esse mundo, interclasse que é, comportamentalmente, reproduz valores que também o são. Um deles, muito evidenciado em quadrinhos, jogos e eventos nerds é um certo sexismo, dizem…

Cinta Liga da Justiça

Cinta Liga da Justiça

Cosplay da kryptoniana Poderosa, com uma frase recorrente da heroína

Cosplay da kryptoniana Poderosa, com uma frase recorrente da heroína

[Pra quem não tá habituado ao universo cosplay, eis um aperitivo:  http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=28041%5D

Há um claro porquê pra esse comportamento, além da obviedade da própria base sócio-cultural em que estamos imersos. Ocorre que o mundo nerd é muito masculino, incomodamente até, como bem demonstra este vídeo de Big Bang Theory, em que as meninas visitam a loja de quadrinhos, enquanto os rapazes vão pra uma convenção trekker, devidamente caracterizados de Nova Geração.

Agora, incluamos fora dessa a Princesa Leia com biquíni dourado acorrentada pelo Jabba. Esta icônica imagem nada tem de sexista. Eis um libelo da sensibilidade nerd, contra a opressão concreta e metaforicamente identificada nesta imagem. Não é à toa que tantas sonham ser Leia

leia

E não esqueçamos que, para além do culto vivo e retumbante a tantas musas, os nerds também amam (entra nesse link, entra… é uma passagem pra outro estágio de apreciação)

Ah… a doce empreitada de ser nerd…

Esse povo que não sonha, congraça-se a Morpheu, não o que oferece a Neo a pílula vermelha, mas o que tem por irmã aquele pedaço de mau caminho da Morte, a qual, obviamente, morre bem.

sandman7morte9

Ser nerd também é, óbvio ululantemente, acabar por se especializar, como dissera lá no início, em temas desse mesmo universo, além do conhecimento médio que as demais pessoas costumam ter sobre dado assunto. É conhecer jedis e siths (argh! Detesto siths!) anteriores ao episódio I e posteriores ao episódio VI, por exemplo, se sua veia nerd é à Star Wars! O apogeu disso, sem dúvida, são os encontros, uma epifania de conhecimentos sobre temas que tanto aprazem!

Lady Darth Akhara, uma sith muito, muito antiga.

Lady Darth Akhara, uma sith muito, muito antiga.

Mas, e digo isso com empáfia mesmo, ás vezes, ser nerd é simplesmente ter a consciência de que se gosta de coisas invariavelmente foda (esse adjetivo do português me intriga muito. Por que será que ele não tem plural? Ainda hei de descobrir), fodásticas!

Penso que ser nerd é, sobretudo, válvula de escape. Aliás, é óbvio que toda a cultura nerd é (sub)produto do capitalismo, eivado de valores que pululam no ideário desse sistema. Como tudo o mais que é do capital e, portanto, contraditório, eis mais um ponto. A cultura nerd pode ser ponte pra um mundo de alienação imobilizante ou à retroalimentação de que é preciso combater o mal, quanto mais quando se mostra travestido de bem, de forma indômita e ousada, crendo que “no dia mais claro, na noite mais densa o mal sucumbirá à minha presença…” (juramento dos Lanternas Verdes).

Ser nerd e socialista é ter o melhor de dois mundos, enfim, rumo a um único outro mundo! Bem, a Enterprise, de acordo com a cronologia de Star Trek, só decolará em 2151, depois do primeiro contato com os vulcanos. Como já mencionei doutra feita, segundo Posadas (o trotskyista ufólogo. Trollei!), uma empreitada como a navegação interplanetária só pode ocorrer segundo investimentos do planeta todo, irmanado coletivamente neste propósito, portanto, só com uma Terra socialista!

Por hoje, é só, pessoal!

Qapla’ (Sucesso, em klingon).

A alguns companheiros nerds queridos!

Primeiro, à Andrea de Oliveira, Música, uma descoberta indescritível, uma espécie de Graal, uma dobra espacial que permite ir além! Minha nerd amada! QamuSHa’, Música!

Também ao grande companheiro de debates nerds Dimas.

À Lise, uma valiosíssima nerd, firme na Força!

Ao Sandro Ripoll, Dirley, Rodrigo Palácio, Rubens, Thiago Braga, Ulisses e Darlan, nerds honoríficos!

Também à Roberta Greco, nerd recém incluída em meus círculos, valente combatente de Oa!

Ao companheiro, amigo e parceiro de Transversos, Walace Cestari.

Ao Jefferson Tramontini, embarcado na Yamato.

Aos queridos padawans, André Luís, Arthur Graná, Gabi Bernal, Morena Rosa, Jean e Theo.

À Karen, membro permanente da tripulação da Enterprise.

Aos compas nerds-comuna-satano-gayzistas-botequistas Roberto (É bi!), Nöt, Rômulo e Ane!

Que a Força esteja com vocês!


[soon I’m gonna be a jedi]

(continuação do título) … I’m a nerd and proud!

P.S.: agora se revelou meu grande segredo: sou nerd!

Anúncios
Categorias: Cultura, Reflexões, Sociedade | Tags: , , , , , , , | 11 Comentários

Navegação de Posts

11 opiniões sobre “Say it loud…

  1. Até que enfim tudo que eu queria saber sobre o mundo nerd e não tinha pra quem perguntar ! Muito bom. Claro está que não viverei o suficiente para chegar às franjas da compreensão deste universo mas seu texto me despertou uma pergunta, Anderson . Será que que o efeito da pílula vermelha e azul ao mesmo tempo é a conquista definitiva da dialética ? Tomara seja uma pergunta nerdmente aceitável 🙂

  2. Não havia pensado ainda sobre essa lógica estrita, Ana. Espero que seja, enfim. 🙂

  3. Jefferson Andrade

    Segredo? Segredo de nerd é virgindade mantida após os 30. Você ser nerd é público e notório! É nerd, mas é meu amigo.

  4. andreabdeoliveira

    Odisseu, vc é fascinante! Um encantamento incomensurável! Um universo inteiro dentro do seu coração e que a cada dia de vivência e convivência mais nativa me sinto!

    “Imin, Tata e Enel acordaram antes de suas esposas, e a primeira coisa que eles viram foram as estrelas, pois eles acordaram no crepúsculo antes do amanhecer. E a próxima coisa que eles viram foram suas esposas destinadas, deitadas dormindo na grama ao lado deles. Então eles ficaram tão enamorados de sua beleza que seu desejo pela fala foi imediatamente acelerado e eles começaram a “pensar em palavras” para falar e cantar nelas.”

    A primeira palavra foi “el” (estrela)… Isso te lembra algo?

    “Elen síla lúmenn’ omentielvo” (Uma estrela brilha sobre nosso encontro)

    Mélanye lye!
    Nerwen.

  5. Jefferson, valeu, parceiro! Abração! 😉

  6. Música encantatória, cê é a própria Força, o Olho de Thundera, o além da Enterprise, a energia de Oa, a Verdade escondida nos arquivos x! QamuSHa’.

  7. Aline Silva

    Agora, sim, um texto que me faz compreender um pouco a cultura nerd. Tenho um conhecido que vai a eventos em que as pessoas se vestem de super-heróis. Confesso que esse carnaval fora de época ainda me causa bastante estranhamento. Mas o seu texto é deliciosamente elucidativo. Parabéns! Bjs.

  8. ‘Brigado, Aline! 😉

  9. O poético Anderson Ulisses, desbravando esse universo de infinitas possibilidades que é o “nerdismo”. Eu acho que, em parte, é a apreciação de algumas coisas das coisas fabulosas criadas pela humanidade, como outras tantas.

    Continue inspirado pela Força, vamos rumo à nossa esperança distante.

    Abraços

  10. ‘Brigado, companheiro de lutas e de nerdismo! Abração! Que a Força esteja com você e Vida Longa e Próspera!

  11. Pingback: Nerdices e nerdades | transversos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: