Lugar de índio é no alto da árvore

1526346_391729440961307_830800785_n

Uma copa do mundo traz alegria para a população e prosperidade na forma de investimentos. A imagem que a propagando mostra, a realidade desmonta impiedosamente no dia a dia. Até agora, o saldo dessa copa foi um sem número de remoções, uma corrupção generalizada que beneficiou todos os agentes públicos e privados envolvidos na realização do evento e uma distribuição de violência para a população inaudita até para os covardes parâmetros brasileiros.

O último “benefício” para cidade foi a terceira remoção arbitrária e violenta da Aldeia maracanã. Arbitrária no sentido pleno do termo, pois deu-se a contrapelo de uma ordem judicial reconhecendo aquele pequeno perímetro, que deu o azar de estar no caminho do novo, caro e superfaturado estádio do Maracanã, como território indígena legítimo. Violenta, pois a truculência do despejo não poupou nem as mulheres, sendo que inclusive uma grávida foi agredida pela tropa de choque. Tenho dito isso em outros lugares: não aguento mais ver tropa de choque agredindo mulher. Qual é o problema dessas pessoas? A Polícia Militar está distribuindo gratificação por violência contra a mulher? É a lei Maria da Penha às avessas promovida pela PMRJ. Tudo isso em benefício da Odebrecht e por cima dos escombros do projeto mais do que digno (mas pouco rentável) de construir uma universidade indígena naquele local.

Os índios foram os grandes perdedores do processo histórico e social brasileiro, mais até do que os negros, e eles têm aguda consciência disso. Vivam os índios por aqui, relativamente tranquilos, ora fazendo paz, ora fazendo guerra, até a chegada do exógeno elemento português. De lá para cá, o resultado catastrófico (para os índios) desse “processo civilizatório” traduziu-se em doença, morte, miséria e na contínua desapropriação das suas terras. Parece não haver espaço para índio no mundo… E em um futuro próximo pode haver menos ainda, uma vez que a diminuta Aldeia está na mira da ganância do governo Cabral (o mais corrupto e fascista da história deste estado) e da maior empreiteira do país.

Como diz David Harvey, a reurbanização do mundo tornou-se um dos principais meios de reprodução do capital da atualidade, e grandes eventos como essas picaretagens de copa e olimpíada são a desculpa perfeita para que autoridades locais transformem os interesses do capital global em “políticas públicas”, em detrimento, é claro, das populações. Porém, as cenas deprimentes observadas durante a vigília ao índio Urutau José Guajajara ficam por conta da abominação que é a realidade social do nosso país. O que se observou naquela noite foram cenas de tortura, pura e simples, sem a menor necessidade, sem o menor sentido prático, apenas pelo gosto de exorbitar nos usos e abusos do poder. José passou 26 horas em cima da árvore, em protesto contra a remoção, e um cordão de isolamento do Batalhão de Choque e do corpo de bombeiros impedia que a população desse comida ou água para ele. Um homúnculo ridículo, vestindo um uniforme do CBMRJ, manteve uma poderosa luz de lanterna apontada para a árvore quase a noite toda, com um sorriso cínico no rosto, impedindo que José dormisse. Ainda assim, privado do sono, de alimentos e quase sem água, ele resistiu bravamente até ser literalmente laçado para baixo, sofrendo grandes ferimentos com a operação. Um tratamento digno de prisioneiro da base de Guantánamo, enfim (ou, como a tortura ficou eufemisticamente conhecida durante a administração Bush, “técnicas intensivas de interrogatório”).

O aparato montado para “vigiar a vigília” também não poderia ser menos impressionante. Em momento nenhum havia menos do que 12 carros de polícia, 11 motos do Batalhão de Choque e um ônibus, isso tudo para uma manifestação que no seu auge contou com cem pessoas (número que caiu pela metade durante a madrugada). A única organização presente o tempo todo, ao longo de todo o processo de remoção, foi a Frente Independente Popular, ao que se deve fazer obrigatoriamente menção.

A realidade é que estamos lutando contra a Odebrecht, aquela empresa amada pelo governo, que tem as chaves dos cofres do BNDES. É a chamada “internacionalização das empresas brasileiras” – o governo empresta dinheiro para elas expandirem os seus negócios em cima dos nossos vizinhos, a juros de pai para filho, aumentando o seu lucro privado e reforçando a percepção do Brasil como nação subimperialista no continente. A luta é, portanto, das mais árduas. Infelizmente, quem manda no Brasil é a Odebrecht e a soja. Os índios estão perdidos. E nós também. Se ficarmos parados.

1522082_583807285040790_1484363441_n

Os maiores inimigos dos índios:

Governo federal: fora projetos “desenvolvimentistas” como Belo Monte, há dezenas de leis em tramitação no congresso que ferem diretamente os interesses indígenas. Ver uma lista aqui: http://www.brasildefato.com.br/node/26920.

Igreja católica: parece empenhada na missão missionária / messiânica de exterminar os índios que restam. A Opus Dei, um grupo que em tese não deveria discutir política, apenas o sexo dos anjos, tem um dos maiores advogados antidireitos indígenas do país. Trata-se de Ives Gandra (muito amado pelo PT, pois andou defendendo os mensaleiros recentemente). É um constitucionalista e é contra a existência de reservas indígenas sob a argumentação fajuta de que estas limitam o direito dos brasileiros de ir e vir. A propriedade privada, as bases militares e as áreas de preservação ambiental fazem a mesma coisa, mas isso ele não fala.

Madeireiros, latifundiários, mineradoras e seus representantes parlamentares: se pudessem, exterminavam todos os índios de uma vez por todas.

Religiões missionárias em geral: estão sempre se aproveitando da vulnerabilidade e da precarização da vida dos povos indígenas para conseguir conversões (leia-se, novas fontes de receita). Ao custo módico, é claro, da perda das suas identidades ancestrais (processo conhecido como aculturação).

1522131_476995655750428_924719362_n

Anúncios
Categorias: Política | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: