2013 foi vandalismo!

E lá vinha 2013, meio barro, meio tijolo, reme-rememente. Fora Renan Calheiros, Fora Marco Feliciano/Morte a Marco Feliciano/Ao Inferno Marco Feliciano/Esquartejamento de Marco Feliciano/Salgar a terra da casa e o espírito de Marco Feliciano/Etceteramente todos os votos negativos a Marco Feliciano…

[aconselhável ler ao som dessa canção]

Sucessão papal, por uma rara renúncia− há quem diga denúncia− e não por morte. Morte essa que, por sinal, marcou um antagonismo de personagens históricos no início e no fim do ano: Thatcher, cuja morte foi festejada pelos britânicos e Mandela, que consternou a população de seu país e do mundo, mesmo aí inclusos os casos de escancarado cinismo e desfaçatez. Aliás, a própria dama enferrujada, décadas antes o classificara terrorista.

tatcher

mandela5

Ainda antes se fora Chávez, mas permaneceu o bolivarianismo, ao qual ele abrira as portas da Venezuela pra desespero de sua classe média! E Nicolás subiu de Maduro!

Depois da agrura dos guaranis-kaiowás, o desplante do Museu do Índio/Aldeia Maracanã: o episódio mais atual do vasto genocídio racista anti-indígena brasileiro. Índio, no Brasil, não tem nem mais sequer programa.

Maracana Indians

O Maraca privatizado sem protestos. Ex-Maracanã se fez: Maracanex!

maraca privado

Um herói surgiu, construído com ardor pela mídia oficial, moldado em farsas, em joaquinescas barboseiras!

Eis que os porto-alegrenses primeiro fizeram um fantástico movimento contra o aumento de passagens entre abril e maio. Contudo, no início de junho, o Movimento Passe Livre, de São Paulo, reprimido brutalmente, se tornaria o estopim de um revolta viralizada no meio virtual, não só contra o aumento de passagens, mas por uma série de pautas ora de luta mais popular e democrática, ora mais manipulada, midiaticamente, digo.

E como se protestou: contra o aumento de passagens, contra o desgovernador do Rio (até em São Paulo!), na visita do papa, contra as obras da Copa, na histórica greve da Educação! E como a polícia caninamente baixou o sarrafo, covardissimamente, revisitando os mais plúmbeos momentos ditatoriais de nossa recente (des)memória, a passos lentos e trôpegos revelada.

1964 b

protestosmanifestação-dia-20-06

greve- professores 9mafalda policia

Contudo foram os maiores protestos da história do país. Parafraseando Lênin, se houve anos na nossa história recente que não valeram um dia, vieram dias que valeram anos. Anos engolindo a seco

E uma pergunta ecoou transcontinental: Onde está Amarildo?

amarildo 2

amarildo palestina

Muita história da carochinha: “… a manifestação seguia pacífica, até que, por volta das 20h, um grupo de baderneiros…”.

carochinhaSeguiu-se a quebradeira dos bancos , a literal, − quem atirou a primeira pedra?− já que a metafórica o governo federal não permite. Um ano inesquecível para os vidraceiros!

banco- brechtAs manifestações daqui apinhadas de vândalos baderneiros

protestos3

“Polícia da Turquia reprime ativistas em praça de Istambul”

amor seguroprotestos2

As ruas entoando “A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura”, vaias e similares forçaram, tamanha foi sua intensidade, as organizações Globo a uma “meia culpa”. A mídia em geral já não consegue mentir tão impunemente, embora ainda desfrute de poderes descomunais.

meia culpa

Já os Black Blocs se não se cuidarem entrarão na moda e tudo, estilo oculto em tons de grafite. Até os ativistas da causa animal já aderiram.

Apesar da truculência policial, deu-se aas ruas um aroma de povo em luta que tem tudo para nela se entranhar!

beagles livresE o petróleo segue jorrando distante do povo. E, mesmo sem ele,  a situação da educação é negra!

E, este ano (não) tem Copa! 2014 já entra em campo com pinta de que vai se tornar um clássico!

2014b

E aqui aportaram mais médicos, mas médicos indignaram-se, em exercício de reserva xenófoba de mercado.

mais vandalos

Snowden, pelo crime de informar o ininformável, tal qual Assange, autoexilou-se forçada e persecutoriamente em terras russas, neossiberiezação, em tempos de frias guerras! E Obama ficou mal na fita, no vídeo e nas escutas.

Ainda fomos brindados neste fim de ano com o irreality show, panis et circenses, das prisões do tal Mensalão.

Teve também o helicóptero do pó, a maior apreensão de drogas já feita, junto ao tráfico real, de colarinho branco, no Brasil. Mas, parece que este assunto é pra não ser muito comentado não.

Agora, Lou Reed morrer já foi vandalismo!

P.S.: em fevereiro, volto a publicar, a menos, claro, que “forças superiores” se evidenciem! Até lá…

Anúncios
Categorias: Reflexões, Sociedade | Tags: , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: