Parem as máquinas!

maxresdefault-2

Tudo está fora do lugar. O noticiário está louco – ou louco é quem ainda vê com credulidade os noticiários? – e, se nada acontece, é porque tudo pode acontecer.

Qualquer movimento do Juiz Moro e da milionésima fase da Lava Jato vira manchete – não que não seja importante – e as denúncias requentadas tomam ar de novidade. Outras investigações, condutas e pessoas já não são mais tão importantes de serem investigados. Acho que deve faltar tempo para falar de todo mundo. Dinheiro na Suíça e esquema de anulação de dívidas de grandes empresas não devem dar Ibope. Ou não podem, sei lá.

O importante é assustar o cidadão. É recessão, é inflação, é demissão e qualquer outra palavra que termine em “ão” para dar a ideia de que morreremos de fome antes do anoitecer. A indústria não consegue mais vender um milhão de carros por ano, apenas setecentos mil. Demitam-se os funcionários. Como assim diminuir lucros de quem produz? Os bancos precisam dos juros. Eu juro. Nós é que somos culpados pela miséria que chegará como peste em pouco tempo e acabará com a nossa economia (não a dos banqueiros, é claro). O fantasma é feio e mostrado como filme de terror pelos comentaristas do caos. A crise é tão grande na tevê que hoje mesmo decidi não comprar o pão, para poder economizar alguns centavos que farão falta nestes dias sombrios.

Também é bom não sair de casa. Ir à rua por qualquer motivo significa ser assaltado, violentado, esfaqueado e sabe-se lá mais o quê. Por um menor, é claro. De qualquer idade, diga-se de passagem. Independentemente de que identificação, a notícia dava que era um menor. E drogado. Então era, pronto. Ainda bem que existe gente séria na Câmara disposta a resolver essa questão. Direitos humanos para os humanos direitos. Se está com pena, leva pra casa. Mas, se não tem pena, deixa passar no Datena.

No Nordeste, uma visita rápida à Idade Média, onde se amarra o condenado – um menor de 29 anos, no caso – a um poste e dele se servem os defensores da moral. Espancamento brutal. Até a morte. A dignidade está salva. Esse não rouba mais. Amém, dirão aqueles com saudades da inquisição.

E a voz do povo é ouvida no Congresso de surdez seletiva. Não há como ignorar a vontade da população em diminuir a maioridade penal. Nem importam os meios de como fazer isso. A família brasileira está em risco, vamos armá-la e lutar contra o gayzismo que assola nossa moral, é isso que as pessoas de bem (ou bens?) esperam de seus representantes. Mas, a gente brasileira também declarou em pesquisa que é contra o financiamento privado de campanhas. Calma, aí é diferente. É porque não entenderam direito a proposta. Nesse caso, o sensato é ignorar a vontade popular. No fundo, é isso que o povo quer.

A culpa do que é ruim já nem é mais da Dilma. Já se procuram mais vilões e comparsas para o seriado. A mídia já conseguiu fazer da presidenta o ser mais odiado do país – obviamente, ela e seu partido têm dado uma substancial contribuição para isso – e já não há mais nenhuma vergonha na cara de assumir o paradoxo vital da economia brasileira: a oposição critica o governo por cada medida que ela mesma tomaria se estivesse no poder.

Entretanto, entendedores nunca são bem-vindos no cenário nacional. Próximo ponto, por favor.

Talvez por essa crença na suprema imbecilidade do público, a crise na Grécia torne-se culpa do Lula. Malditos petistas, mal posso ver seus movimentos! Sim, o PT aconselhou o Tsipras a rebelar-se contra a Troika. Mesmo que, sem sentido algum, o Partido dos Trabalhadores aplique no Brasil todas as medidas de austeridade que levam o povo grego à penúria. Deve ser alguma tática de desvio de atenção combinada no Foro de São Paulo para trilhar o caminho da revolução comunista lulobolivariana em curso no Brasil.

E tome infográfico para convencer explicar que a Grécia vai falir. Então, didaticamente aprendemos que Alemanha foi generosa ao emprestar dinheiro para viabilizar o projeto de espalhar a fome no país vizinho. Em involuntária (?) homenagem à civilização antiga, transformam todo o país em ruínas. Deve ser o reinado de Hades. E a culpa, do PT. Do daqui ou do de lá.

Na Bolívia, o papa ganha um crucifixo em forma de foice e martelo. A imprensa não tarda a crucificar o ato. E outros dizem “o papa é comunista!” Talvez não, talvez o papa seja apenas cristão. O que já quer dizer muito em termos de olhar seu semelhante com outros olhos. Ou os comunistas estão amolecendo o coração, ou os cristãos esqueceram-se das lições de seu mestre: pensar em uma vida melhor para os pobres virou vandalismo de esquerda.

Alguém não entendeu nada do que foi escrito há sei-lá-quantos-mil-anos nem do que foi noticiado na semana passada.

Mas, já não importa a história, senão o jeito de contá-la. Há mais de quinhentos anos, aqui no Brasil, dá pena da pena que a escreve. Parem as máquinas, por favor, parem as máquinas.

Anúncios
Categorias: Política | 1 Comentário

Navegação de Posts

Uma opinião sobre “Parem as máquinas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: