Valeu, Zumbi!

transversos

Xangô

Perspectiva diacrônica

Estima-se que 35 mil pessoas habitavam o mais conhecido dos quilombos, o de Palmares, nos limites de Alagoas e Pernambuco, entre 1624 e 1654.  Abrigava mais de 10 comunidades de diversas etnias, protegidas por estratégias militares sofisticadas que chegaram a evitar por mais de 100 anos a invasão colonizadora, tanto portuguesa quanto holandesa. Constituía-se em espaço de resistência, reverenciando a cultura ancestral, organizando-se socialmente, abrigando negros fugidos, negros libertos e brancos pobres foragidos da justiça.

Seu primeiro líder, Ganga Zumba,  tornou-se notório por ter assinado um tratado de paz com o governador-geral da capitania de Pernambuco Pedro de Almeida. Há mudanças na visão dos historiadores quanto ao papel do líder negro nos quilombos: de manipulado ou traidor a conciliador, que buscava no tratado uma forma de garantir a preservação das comunidades.  O tratado prometia “união, bom tratamento e terra”.

Uma das condições do acordo era a de…

Ver o post original 629 mais palavras

Anúncios
Categorias: Sociedade | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: